IntelliSense no Power Query no Excel

Finalmente, a Intellisense  chegou no Power Query!

Neste artigo eu vou te explicar como você pode se aproveitar dessa novidade dentro do seu Excel! E também, para você que não sabe o que é Intellisense e pra que ela serve, aqui vai uma pequena explicação.

O que é o Power Query

Primeiramente, o Power Query é a ferramenta que existe no Excel para fazer o ETL, que é Extract, Transform, Load, que resumidamente, você faz com que o seu Excel conecte com outros sistemas, outras planilhas, e até com a WEB, trata esse dado e carrega o dado tratado para dentro do Excel.

É uma ferramenta incrível que tem feito nossa produtividade aumentar mais do que 1000%. Você consegue fazer coisas incríveis com o Power Query sem precisar programar nada, porque ele funciona como uma especie de gravador. Você vai tratando o dado e ele vai salvando cada etapa de tratativa.

E aí, quando a gente começa a criar consultas mais avançadas no Power Query, é chegada a hora de aprender a programar para criar coisas um pouco mais avançadas e principalmente, mais eficientes.

A linguagem M do Power Query

A linguagem de programação utilizada dentro do Power Query é a linguagem M. No final deste artigo, eu vou deixar um link da Microsoft para você ter uma noção geral de como funciona a Linguagem M.

Mas por que aprender a Programar com M no Power Query?

Se você ainda não programa no Power Query, aqui vai um pequeno exemplo para que você comece a programar a partir de agora no Power Query.

Imagine que você quer conectar o seu Excel com a API do GoogleMaps para conseguir digitar um endereço no Excel e próprio Google te retornar quanto tempo vai demorar para você sair da sua casa e chegar no seu endereço

Sim, isso é possível com o Power Query.

Exemplo do Power Query com Google Maps

Imagine que você trabalha numa transportadora e precisa calcular essa distância de várias rotas… Você tem uma tabela com as rotas do dia e quer usar o próprio Google Maps para saber quanto tempo vai demorar e a distância de cada rota, veja esse exemplo:

Nesta tabela, todos os dados da colunas pintadas de cinza estão vindo diretamente da API do Google através do Power Query com a linguagem M.

A grande diferença aqui é que a gente está utilizando uma mesma consulta para cada endereço! Ou seja, não foi necessário criar uma consulta para cada endereço: a gente criou somente uma consulta e consumimos a consulta dentro da tabela.

E quando fazemos isso, significa que transformamos uma consulta em uma Função para ser consumida em qualquer célula do Excel ou em qualquer consulta dentro do próprio Power Query.

Exemplo de uma função criada no Power Query.

Veja que uma função pode ter as variáveis e o sinal de => chamado de lâmbida…

Se você tá pensando que foi necessário digitar todos esses códigos, fica tranquilo! Não foi necessário! A gente vai clicando, filtrando, adaptando, fazendo a Tratativa do dado (lembra do ETL no início do artigo) e ele vai escrevendo sozinho!

Ou seja, aqui foi necessário entrar nos códigos da consulta e fazer algumas modificações para transformar a consulta em uma função, e com isso, poder consumir essa função alterando somente as informações das variáveis.

Neste exemplo, veja que utilizamos a origem e o destino como variáveis para ele conectar com o google e buscar as informações 🙂

E o Intellisense?

Ah, aqui então é que está a grande novidade.

Quando a gente entra dentro do código da consulta no Power Query dentro do “Editor Avançado” a gente vai editar os códigos na mão. E agora, a grande vantagem é que ao editarmos o código, várias facilidades estão disponíveis para ajudar a gente a digitar o código.

Como exemplo:

Indicativo do início e fim com cores diferentes

Comece a digitar e veja a mágica

A medida que você inicia a digitação ou edição de uma consulta é possível ver a lista de consultas e fórmulas que você pode utilizar que iniciam com o mesmo termo que você digitou.

Antes, você precisava digitar exatamente o nome das consultas ou das funções “na mão”. Com essa nova funcionalidade você pode até lembrar o nome das funções que você pode usar.

Se você quiser usar uma função de texto, basta você digitar “text” e todas as funções de texto serão exibidas:

Diferenciação com cores

 

Agora está mais fácil diferenciar os textos, que estão destacados em vinho e os números, destacados em verde.

Facilidade para digitação dos parâmetros

Quando precisamos digitar textos, é preciso escrevê-los entre aspas “”

Para digitar elementos, é preciso escrevê-los entre colchetes [] para acessar, por exemplo, colunas de uma tabela e também entre chaves {}, geralmente para criar elementos de uma lista ou acessar itens de unma lista.

Com o IntelliSense, ao abrir aspas, ou colchetes ou chaves, ele já fecha pra você não esquecer

Como faço pra aprender a fazer tudo isso?

Se você ficou interessado em utilizar a API do google dentro do Power Query, ou ainda, aprender Power Query partindo do zero, clique aqui e faça parte do nosso Intensivão do Excel e veja como a Doutores pode te ajudar a acelerar sua carreira, aprender dicas e técnicas para se tornar mais produtivo ao trabalhar com o Excel.

>> Participar do Intensivão do Excel grátis

Links

-Quer aprender Excel e Power BI e Power Query?, clique aqui.

Conheça mais sobre a linguagem M na página da microsoft.

Abraços!

Daniel Delgado

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
whatsapp
Compartilhar no email
Email

Desafio do excel 2.0

Teste aqui seus conhecimentos no Excel

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Fechar Menu